Elementos do Património Cultural Intangível

    Gastronomia Macaense-Confecção do Aluá





    Apresentação: 

    A pastelaria e a doçaria são elementos fundamentais da cultura gastronómica Macaense. Quer em reuniões de família, quer em dias de festa, as mesas da comunidade Macaenseenchem-se de todo o tipo de salgadinhos, doces e bolos. O Aluá é um doce típico da época do Natal, cuja consistência diz-se que faz lembrar o colchão do menino Jesus. Sendo originalmente um doce árabe, foi trazido para Macau por via da Índia. Os seus ingredientes incluem farinha, manteiga, leite, amêndoas e pinhões, açúcar-cristal e leite de coco. A massa deve ser mexida e deixada a fermentar, sendo depois cozida, deixada a repousar e cortada. A fase de cozer a massa é a etapa mais importante: depois da massa ser fermentada é colocada numa panela quente, à qual se junta o leite, o açúcar-cristal e o leite de coco para criar a base. De seguida são adicionados a manteiga e os pinhões. A massa deve depois ser mexida constantemente, durante 8 horas, engrossando gradualmente e adquirindo uma consistência mais dura, depois de ser deixada a repousar. Todo o processo demora cerca de três dias. Depois de cozido, o Aluá é normalmente fatiado em quadrados, possuindo uma cor e textura semelhantes aos bolos de arroz glutinoso Chineses, sendo doce e macio.

     

    Estado de preservação:

    À semelhança do que acontece com outras iguarias Macaenses, a confecção do Aluá era inicialmente transmitida de Mães para filhas, passando mais tarde a receita a ser incluída e preservada em livros e colectâneas de receitas. Actualmente, as poucas pessoas que mantêm a arte desta confecção são essencialmente mulheres Macaenses e mestres pasteleiros com formação para tal. Devido ao lugar fundamental que este doce ocupa na mesa de Natal dos Macaenses, assiste-se a um aumento nos esforços de promoção desta especialidade por parte de algumas pastelarias locais nos últimos anos, permitindo que mais pessoas tenham a oportunidade de conhecer e provar este doce especial e viabilizando também a transmissão e continuidade da arte da confecção do Aluá.

     

    Valor patrimonial: 

    O Aluá é um exemplo importante da doçaria local, sendo uma especialidade que é muito apreciada durante o Natal, particularmente pelos membros da comunidade Macaense. A origem desta iguaria e o seu modo de preparação constituem um importante testemunho sobre o intercâmbio cultural entre a China e o Ocidente, sendo também um bom exemplo da diversidade gastronómica de Macau, no que se reconhece ser um elemento de grande valor também para o estudo da cultura Macaense e da gastronomia de Macau.


    Política de Privacidade    |    Feedback

    Copyright © Instituto Cultural, Reservados todos os direitos.
    Praça do Tap Seac, Edif. do Instituto Cultural, Macau
    Tel:(853) 2836 6866 Fax:(853) 2836 6899 Email:webmaster@icm.gov.mo

    Este site foi optimizado para visualização a 1024 x 768, nas versões Internet Explorer 10, Adobe Acrobat Reader 9 ou superior.