Elementos do Património Cultural Intangível

    Fabrico de Porcelana Cantonense







    Apresentação:

    A porcelana Cantonense, também conhecida como “louça colorida de Cantão”, teve as suas origens no reinado de Kangxi na dinastia Qing. Devido à implementação da política comercial que estabelecia Cantão como o único porto aberto ao comércio com o exterior, os comerciantes estrangeiros puderam efectuar encomendas de porcelana oriunda desta zona, com o formato, estilo e padrões pretendidos, o que contribuiu para o desenvolvimento da indústria de porcelana colorida e pintada à mão da zona de Cantão, sendo que este tipo de porcelana tornou-se também num dos principais produtos de exportação da China naquela época. Após a década de 1930, e devido a um período de elevada agitação social na época, muitas fábricas de porcelana cantonense mudaram-se para Hong Kong e Macau, onde criaram raízes e continuaram a prosperar. A porcelana cantonense faz uso de um tipo de esmalte para desenhar e colorir padrões na superfície da argamassa crua que, depois de moldada, é introduzida no forno onde coze a baixa temperatura de modo a fixar as cores. A porcelana cantonense caracteriza-se por composições tradicionais, cores vivas, decoração subtil e uma riqueza de técnicas. Os temas e diferentes tipos de decoração da porcelana cantonense de Macau são extremamente variados, fazendo uso de composições que são característicos da região de Lingnan, tais como couves chinesas e lutas de galos, integrando também diferentes tipos de pintura e técnicas decorativas, tais como revestimento com tintas douradas e o preenchimento de superfícies com cores, para além de usar motivos e padrões coloridos que iam ao encontro dos gostos estéticos europeus e americanos. Tal permitiu que a porcelana cantonense de Macau mantivesse os seus traços característicos regionais, aos quais se junta também uma forte influência ocidental.

     

    Estado de preservação:

    A porcelana Cantonense de Macau conheceu um período de prosperidade na década de 1960 a 1980. A década de 90 assistiu ao declínio da concorrência do Interior da China neste sector, de modo que, actualmente, os artífices empenhados na criação de porcelana cantonense têm vindo a realizar actividades de divulgação, de modo a garantir que esta arte continue a ser transmitida.

     

    Valor patrimonial: 

    O processo de fabrico de porcelana cantonense é complexo e faz uso de técnicas refinadas, constituindo um importante testemunho sobre a herança e o desenvolvimento, em Macau, da cultura artesanal Chinesa e do seu génio criativo. A porcelana cantonense de Macau desperta o olhar pela variedade de cores, pelo requinte da pintura e pela riqueza dos pormenores decorativos. Possui também características locais distintas, em especial no que diz respeito à integração de técnicas e elementos pictóricos ocidentais, revelando uma fusão de características Chinesas e Ocidentais e constituindo assim um importante elemento para o estudo do intercâmbio histórico e cultural entre o Ocidente e o Oriente, sendo também um valioso testemunho sobre o desenvolvimento do artesanato em Macau.

     

     

     

     

     


    Política de Privacidade    |    Feedback

    Copyright © Instituto Cultural, Reservados todos os direitos.
    Praça do Tap Seac, Edif. do Instituto Cultural, Macau
    Tel:(853) 2836 6866 Fax:(853) 2836 6899 Email:webmaster@icm.gov.mo

    Este site foi optimizado para visualização a 1024 x 768, nas versões Internet Explorer 10, Adobe Acrobat Reader 9 ou superior.